BELEZA AINDA VITAL – Tonico Lemos Auad

12.11.15 — 23.01.16

ta6455_lg_low

 

 

 

CURADORIA GISELA DOMSCHKE

2015 – 2016

 

 

BELEZA AINDA VITAL

 

Banida pelas pretensões do modernismo, a beleza ainda nos assalta em nossos dias. Aqui a resgatamos não enquanto uma qualidade, mas como uma imposição. “As coisas são seus próprios planetas, e têm sua própria geologia”, diz Lars Spuybroek. Pequenas, grandes, etéreas, efêmeras, naturais ou artificiais, as coisas não são apenas percebidas, mas vividas em sua atmosfera. Elas irradiam campos afetivos. Esses encontros estéticos acontecem num mundo que resiste à ideia de ser cristalizado em formas fixas, num mundo cuja maior vocação é seu avesso.

 

Esta sequência de mostras para o Glory Hole foi pensada a partir dessa proposição da beleza como atração, misto de humilhação e exaltação, temor e prazer, uma experiência transformadora e primordial na vida de todos nós.

——————————————————————–

12/11 a 23/01/2016

Tonico Lemos Auad, Clairvoyant, 2008, batatas e fio de couro.

 

Apressados, ansiosos, buscamos a epifania imediata para intermediar e compreender a experiência estética. A intenção parece ser o único caminho confiável para que possamos avaliar uma obra de arte. O que está por vir carrega em si uma vitalidade ao mesmo tempo inevitável e imprevisível e é nesse processo que o espetáculo adquire seu volume. Exuberantemente banal, Clairvoyant sublinha o que há de inexorável na gênese de tudo que é belo: o mando tirânico do tempo sobre as coisas.

Share on FacebookTweet about this on TwitterGoogle+Pin on Pinterest