Daniel de Paula

Boston, EUA, 1987.
Vive e trabalha em São Paulo. 

As proposições do artista intencionam ativar e exaurir uma multiplicidade de relações em um dado contexto espacial. Através de uma postura que não se encera nos domínios da arte, deixando se intersectar por noções de arquitetura, geografia, geologia e astronomia, seu trabalho potencializa lógicas deduzidas do próprio comportamento e história de objetos e lugares. As operações utilizadas pelo artista sugerem uma indivisibilidade entre os objetos apresentados e as ações que lhes dão presença e conteúdo. Por meio de estratégias como negociações com e através de estruturas urbanas, deslocamentos de objetos cotidianos, apropriações de equipamento público-estatal e interações com os agentes constitutivos do espaço expositivo e seu entorno, seus objetos, instalações e intervenções instauram desarticulações e ressignificações de sistemas espaciais rígidos e condicionados.

Exposições/Projetos individuais recentes incluem: Gravidade, Edital PROAC, Cratera de Colônia, São Paulo, Brasil (2016); Open Plan, SP-Arte, São Paulo, Brasil (2016); SITU, Galeria Leme, São Paulo, Brasil (2015); objetos de mobilidade, ações de permanência, White Cube Gallery, São Paulo, Brasil (2014); Para estender um corredor, Galeria Cité Internationale des Arts, Paris, França (2013); Programa de exposições, Centro Cultural São Paulo, São Paulo, Brasil (2011), entre outras.

Exposições coletivas recentes incluem: Avenida Paulista, MASP, São Paulo (2017) Condo 2017, The Sunday Painter, Londres (2017), Arte e Ciência – nós entre os extremos, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, Brasil (2016) Esforço-Desempenho, Galeria Athena Contemporânea, Rio de Janeiro, Brasil (2016) Voragem da História, Observatório, São Paulo, Brasil (2105); Permanências e Destruições, Oi Futuro, Rio de Janeiro, Brasil (2015); la parte que no te pertenece, Galeria Maisterravalbuena, Madrid, Espanha (2014); Onsite, TAP, Southend-on-Sea, Inglaterra (2014); Open Cube, White Cube Gallery Mason’s Yard, Londres, Inglaterra (2013); Processos Públicos, Paço das Artes, São Paulo, Brasil (2012), entre outras.

DP - campo de aça:o:campo de visão

campo de ação/campo de visão 2017



para_site1

para_site_2

para_site3

                                                                                                 estrutura espacial indissociável 2016

 

testemunho_2015_web_imagem_filipe_berndt

testemunho_2015_web_imagem_filipe_berndt_plano_geral_01

testemunho_2015_web_imagem_filipe_berndt_detalhe_02

testemunho 2015

  

SDO_2015_media_daniela_ometto

sdo_2015_media_leonardo_araujo

sistema de órbitas, 2015

 

aparicao_2011_media

aparicao_2011_media_detalhe_02

aparicao_2011_media_detalhe_03

aparição, 2011

 

aoutrageografiapolitica_2014_media

à outra geografia política [da série leituras], 2014

 

oco_2015_web

oco 2015

 

histórias oblíquas_2015_web_imagem_bernard_lessa


histórias oblíquas,
2015

 

 


estado de colisão [da série cruzeiro do sul], 2014

 

 

pararaios-3-baixa-web

pararaios-3-alta-detalhe-baixa-web

dispersão e dominação, 2015

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterGoogle+Pin on Pinterest